As fórmulas de magnésio na suplementação podem ser diversas, sendo as principais: cloreto de magnésio, magnésio quelato, magnésio malato, magnésio dimalato, magnésio glicina, magnésio treonato e sulfato de magnésio.

Hoje sabe-se que as melhores fórmulas para a suplementação de magnésio são as fórmulas queladas, ou seja, é utilizado um nutriente para “proteger” o magnésio e dessa forma ajuda-lo a chegar na corrente sanguínea para ser distribuído nas células e tecidos e realizar duas funções.

O Magnésio Malato é uma forma química onde o magnésio encontra-se conjugado a uma molécula de ácido málico. Já o magnésio Dimalato é o magnésio é conjugado com duas moléculas de ácido málico.

Essa ligação melhora a biodisponibilidade de magnésio e contribui com níveis mais elevados de magnésio no sangue.

Além disso, essa combinação do magnésio e do ácido málico traz benefícios adicionais, pois tanto o magnésio quanto o ácido málico realizam funções importantes no organismo.

Outro benefício é que o malato não reage com o ácido gástrico, evitando o desconforto gástrico, o que normalmente ocorre com o magnésio na forma de sais inorgânicos, como cloreto de magnésio e sulfato de magnésio.

O magnésio na sua forma dimalato é mais biodisponível, ou seja, o corpo consegue absorver melhor esse magnésio, melhorando sua distribuição nas células e consequentemente melhorando os efeitos e benefícios deste mineral.

O cloreto de magnésio é um tipo de magnésio que é indicado para vários fins, porém é mais visto em tratamentos da prisão de ventre, pois age como laxante.

Como é um tipo de magnésio especifico para este fim, algumas pessoas simplesmente compram essa fórmula de magnésio e acabam tendo este tipo de sintomas.

Por isso é importante saber quais são as diferenças de cada fórmula do magnésio, dessa forma evitando efeitos indesejáveis.

As funções do magnésio são as mesmas tanto para o magnésio na forma de sais quanto para forma quelada, entretanto, as formas de sais não conseguem exercer todos os benefícios do magnésio por não conseguirem atingirem a corrente sanguínea totalmente, pois são menos biodisponíveis.

Outra diferença do magnésio quelado com nutrientes e com sais é que as vezes o nutriente que o magnésio foi quelado tem suas próprias funções dentro do organismo, como ocorre com o magnésio dimalato.

Com essa combinação de ácido málico e magnésio, ambos geram benefícios no organismo juntos e separados.

Qual efeito do Magnésio Dimalato?

O Magnésio dimalato possui características únicas, que garantem maior absorção do mineral pelo organismo.

Produzido com a combinação do ácido málico com o magnésio, onde o primeiro complementa este último.

A combinação desses dois minerais faz com que o magnésio seja absorvido mais rápido em comparação aos outros nutrientes e evita reações adversas.

Os benefícios encontrados da suplementação de magnésio dimalato agem na redução do estresse, melhorando o humor e diminuindo ansiedade, melhoram a qualidade do sono.

Indicado também para melhorar a dor, entre outros benefícios que estão listados abaixo:

  • Melhora desempenho físico e recuperação muscular
  • Reduz a incidência de caibras e fraqueza muscular
  • Participa da formação óssea
  • Auxilia no combate a fadiga neuromuscular
  • Melhora glicemia por ajudar no transporte de glicose
  • Auxiliar do sistema cardiovascular
  • Auxilia no estresse físico e mental
  • Ajuda no controle do acumulo de alumínio no organismo
  • Possui papel na imunidade
  • Participação tanto do magnésio quanto do ácido málico na produção de energia

Concluindo, o Magnésio Dimalato é resultado da combinação do ácido málico com o magnésio, onde uma molécula de magnésio é quelada (protegida) por duas de ácido málico.

Dessa forma a absorção de magnésio pode ser mais completa, já sendo considerado um dos benefícios relacionado ao uso do magnésio dimalato.

RESUMO:

Como o magnésio e o ácido málico são utilizados na síntese de ATP em condições aeróbicas e anaeróbicas, estes nutrientes são essenciais para indivíduos que buscam maximizar produção de energia e para pacientes com fibromialgia. A fibromialgia é uma síndrome dolorosa, crônica, de caráter não-inflamatório, que se manifesta no sistema musculo-esquelético. Esta envolve o distúrbio de modulação central da dor e o sintoma presente em todos os pacientes é a dor difusa que acomete o esqueleto axial e periférico (Turan et al, 2009; Siena e Marrone, 2010).
 
O aumento do consumo de magnésio ajuda a produzir espasmos musculares e impulsos nervosos, importantes nas contrações musculares (Siena, 2010). Segundo Turan et al. (2009), alguns estudos sugerem que os níveis de magnésio em pacientes com fibromialgia são abaixo do normal e, ainda, que a terapia de magnésio, combinado com ácido málico, foi efetiva na melhora da dor. Russel et al (1995) observaram que, entre pacientes fibromiálgicos que receberam ácido málico e magnésio por 6 meses, a suplementação promoveu reduções significativas na severidade de todas as dores primárias avaliadas.
 
O ácido málico é um ácido orgânico de ocorrência natural no organismo que é envolvido no processo de formação do ATP, sendo um intermediário do ciclo de Krebs.

Referências

AMORIM, Aline Guimarães. Aspectos atuais da relação entre exercício físico, estresse oxidativo e magnésio currentaspectsoftherelationshipbetweenphysicalexercise, oxidative stress and magnesium. Currentaspectsoftherelationshipbetweenphysical
exercise, oxidative stress and magnesium. 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1415-52732008000500009&script=sci_arttext.

ANVISA Resolução RCD 269 de 22 de setembro de 2005.

Gaul et al. Improvementofmigrainesymptomswith a proprietarysupplement
containingriboflavin, magnesium and Q10: a randomized, placebo-controlled, double-
blind, multicentertrial. J Headache Pain.2015;16:516.